O insustentável desejo de ser curtido

Apenas um trecho da matéria:

[…] A invenção de Mark Zuckerberg virou uma máquina insaciável de cultivo e retroalimentação de carência afetiva. O Facebook nos faz oferecer alguma coisa no altar da popularidade – uma foto, uma música, uma frase de consolo – e esperar ansiosamente pela contagem de usuários que curtiram, compartilharam ou cutucaram. Medimos nossa aceitação usando vogais: “Adoooooroooooo!”. […]

(Dagomir Marqueza)

Revista INFO Exame. ENTER – Cérebro Eletrônico.  Abril, 2012. p. 36.

Disponível em: < http://info.abril.com.br/noticias/extras/o-insustentavel-desejo-de-ser-curtido-04042012-24.shl >.

Anúncios
O insustentável desejo de ser curtido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s