Administração

De quem é a culpa pela desmotivação de um profissional: a empresa, o chefe ou a própria pessoa?

Uma pessoa sem interesse dentro da equipe pode prejudicar a produtividade de todo o grupo. Saiba como reverter essa situação e liderar equipes com profissionais desinteressados.

Manter equipes motivadas, comprometidas e com foco em resultado é um dos grandes desafios dos gestores de hoje. Todas as organizações, independente dos setores e segmentos nos quais atuam, são feitas por pessoas e, para manter a qualidade, o desempenho e resultado esperado, todos precisam estar envolvidos e motivados.

Mas em muitas empresas é possível encontrar dentro das equipes, aquele profissional desinteressado ou desmotivado, que parece enrolar em suas atividades mais do que produzir. Ter um profissional desse dentro da equipe pode se tornar perigoso, pois, pode afetar o desempenho de todo o grupo de trabalho.

Mas de quem é a culpa pela desmotivação de um profissional: a empresa, a própria pessoa ou o líder?

Nesse momento, o responsável pela desmotivação ou motivação no trabalho pode ser devido a qualquer um desses fatores ou até mesmo a soma dos três. Às vezes, profissionais desmotivados são conseqüências da própria organização, por intermédio de políticas equivocadas de gestão de pessoas ou falta de uma liderança adequada. Esses fatores ajudam a criar um verdadeiro batalhão de problemas que um pouco de planejamento poderia evitar.

Só que não podemos atribuir a falta de motivação totalmente às ações da organização. Assim, quando o profissional é incentivado pela empresa a seguir em uma determinada direção, que não é aquela que ele almeja ou acredita, o colaborador poderá deixar de apresentar os resultados esperados. Por tanto, cada profissional tem a sua parcela de responsabilidade e não pode ficar somente esperando que os outros mudem sua postura. É preciso estar disposto à melhor também e buscar continuamente um desempenho elevado.

De acordo com a Teresa Gama, diretora da Projeto RH, consultoria especializada em Gestão de Pessoas, a motivação é algo intrínseco, ou seja, vem de ‘dentro para fora’ de cada indivíduo e os fatores externos contribuem com uma parcela para que o indivíduo se motive ou não. “O processo de motivação é algo cíclico e contínuo, que busca integrar os objetivos, metas e processos da organização às motivações individuais. Como o mundo muda, as organizações também mudam e as pessoas mudam. Por isso, é necessário que os colaboradores sejam sempre estimulados a crescer”, revela a consultora.

Causas da desmotivação

As razões para a perda da motivação do membro da equipe podem ser os mais variados. Pode pesar a falta de feedback entre profissional e empresa, não conseguir implementar alguma ideia ou projeto, problemas de relacionamento, pressão exagerada por resultados, responsabilidades muito abaixo (ou acima) de seu potencial, ausência de planos de carreira e outros.

A consultora empresarial da Leader & Life Coach e diretora da Bem-Estar Desenvolvimento Humano, Daniela Zanuncini, revela que ações motivacionais são mais importantes do que os empresários podem imaginar. “Um colaborador desmotivado tem queda no seu rendimento e por sua vez contribui significativamente nos resultados da empresa. Vários colaboradores desmotivados podem gerar resultados negativos que comprometam o faturamento ou até mesmo o crescimento da organização. Estabelecer, com frequência, ações motivacionais, desde que bem fundamentadas e coerentes pode alavancar negócios, bem como o rendimento da equipe.”

Já a consultora Teresa Gama destaca como muito importante o papel do chefe, pois, esse poderá dar o feedback imediato junto ao profissional. “É importante o líder identificar a razão da desmotivação, através de uma conversa franca, aberta e reservada, e ter ações que possam minimizá-la, se for possível, buscando identificar o que proporciona motivação para aquele colaborador”.

Teresa Gama ressalta ainda que o líder deve “perguntar sobre as perspectivas de seus comandados: o que gostam de fazer, em quais projetos gostariam de se envolver. Enfim, tentar descobrir em que direção querem seguir, buscando aliar com as prioridades da organização. É preciso tentar mesclar a motivação X necessidades X estímulos da Organização”.

As pessoas motivadas podem produzir “algo mais”, através do desejo de inovar, fazer o melhor, de enfrentar os problemas e desafios com tranquilidade. “Os funcionários estarão motivados quando estiverem “encantados” e ligados às estratégias da empresa. Para isso, é importante sentirem que seus pontos fortes são valorizados e, principalmente, as possibilidades de desenvolverem seu potencial”, comenta a consultora.

Sou o novo líder, o que faço para motivar minha equipe?

Há situações em que a mudança de liderança acontece, justamente, devido à queda de produtividade na equipe. Nessa hora, o grande desafio desse novo gestor é motivar sua nova equipe e obter os resultados esperados.

A diretora Projeto RH salienta que, para esse momento, uma aproximação com o grupo de trabalho, mostrando-se aberto a conversar, ouvir opiniões, explicitando expectativas e objetivos, podem ser bastante útil. “É importante criar mecanismos que integrem a equipe de trabalho com o foco nas metas e objetivos da empresa, além de identificar as necessidades individuais e perceber se há pessoas em lugares “errados” para, rapidamente, proceder às mudanças necessárias. Além disso, se deve deixar claro os objetivos e metas da organização e o que se espera de cada profissional no contexto, mostrando a importância de cada indivíduo nos resultados”.

Motivação em longo prazo

Para muitos gestores já é desafiador alcançar um bom nível de motivação com sua equipe, mas, torna-se ainda mais difícil, mantê-lo nesse estado. Por isso, o Portal Administradores, com a colaboração de especialistas em gestão pessoal, elaborou cinco dicas para o gestor conseguir manter um ambiente de motivação na equipe por um longo tempo. Confira:

· Diálogo – Para liderar com efetividade uma equipe, a ferramenta mais útil é o diálogo. Saiba ouvir, por mais simples que seja o seu funcionário, escute e tente entender o que ele tem a lhe dizer;

· Ideias – Peça sugestão ou novas ideias, nunca se esqueça que as experiências de vida de alguns de seus funcionários podem lhe ajudar bastante;

· Respeito – Trate seus funcionários com respeito, tenha consideração com as pessoas que trabalham com você, se tiver que fazer críticas que sejam construtivas e jamais críticas pessoais;

· Novos desafios – O que motiva a grande maioria das pessoas são os desafios, estamos querendo sempre nos superar. Lance para equipes metas ou novos desafios como forma de estimular o grupo;

· Reconhecimento – Não há nada mais gratificante do que o reconhecimento de um trabalho bem feito. Reconheça o trabalho de seus funcionários. Isso significa despertar o sentimento de desafio, incentivar a capacidade de superação e enfatizar a conquista e sensação de realização.

Quando o profissional está mais feliz, o ambiente de trabalho fica mais positivo e isso é convertido em melhores resultados.

Fábio Bandeira de Mello , http://www.administradores.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s